domingo, 15 de março de 2009

Implantes


1 - O que é um implante?

É uma estrutura fabricada em metal (titânio) que é bem aceita pelo organismo. Assim sendo, acontece uma reação orgânica e se forma osso em torno da estrutura. Há um grande conhecimento a respeito da técnica e isso faz com que todo o processo possa ser muito bem planejado. Quando o implante é realizado dentro da técnica correta, os dentes podem ser instalados apoiados nos mesmos e o paciente pode utilizá-los como se fossem seus dentes naturais.


2 - Há quanto tempo a técnica existe?

Os trabalhos científicos iniciais foram desenvolvidos na Suécia coordenados pelo Professor Branemark há mais de 40 anos. A utilização no Brasil começou no final dos anos 80 e se propagou muito. Hoje temos empresas nacionais fabricantes e um grande número de usuários. A Neodent é uma empresa nacional que está em atividade há 13 anos e se firmou muito no mercado nacional e vem ganhando importante fatia do mercado internacional.


3 - Como os implantes são colocados?

É necessário que se faça uma consulta inicial onde o profissional avaliará se é possível instalar os implantes. Serão avaliados alguns fatores relativos à área onde o implante será instalado e outros relativos à saúde geral do paciente. Para isso o profissional precisará de alguns exames específicos que serão solicitados. Em alguns casos serão também necessários procedimentos de moldagem para obtenção de modelos em gesso e montagens para estudo do caso. Uma vez confirmadas as condições ideais, os implantes serão colocados através de uma cirurgia. Eles serão instalados no osso. Dependendo das condições no momento da instalação, os dentes poderão ser colocados no mesmo dia, no dia seguinte ou só depois de os implantes estarem osseointegrados (terem passado pelo período de osseointegração).


4 - O que é osseointegração? Por que em alguns casos espera o período e em outros não?

Osseointegração é um fenômeno que ocorre no organismo para incorporar o parafuso de titânio que foi cirurgicamente instalado ao osso. Como o titânio é um metal que é bem aceito pelo organismo (biocompatível), ocorre um processo de remodelação óssea para unir o titânio ao osso. Esse processo foi descrito pelo Dr. Branemark em 1969 e denominado “Osseointegração”. No início da utilização da técnica não se fazia a instalação dos dentes nos dias da cirurgia em nenhum caso. Depois, apoiados em resultados de pesquisas, o conceito mudou. Hoje, para casos em que o implante pode ser firmemente inserido, é possível a colocação das próteses sem esperar o período. Essa técnica recebe o nome de “Carga Imediata”. Para os casos em que não se consegue inserir os implantes de forma firme, espera-se o período e as próteses serão instaladas depois.


5 - É possível o paciente saber antes da cirurgia se terá seus dentes instalados em carga imediata ou não?

Na maioria dos casos é possível prever. Quando o profissional examina e faz o planejamento do caso é possível que ele tenha idéia das condições locais. Mas, na verdade, só no momento da instalação do implante ele terá certeza. Não é bom que ele arrisque instalar as próteses em casos em que os implantes não puderam ser firmemente inseridos.


6 - Nesses casos em que não instalam as próteses o que o paciente ficará usando?

Ficará com uma prótese provisória. Se a prótese for do tipo removível, ela receberá um material macio por dentro que terá que ser trocado periodicamente durante o período de espera.


7 - Quantos dentes é possível repor com implantes?

Poderemos substituir desde um único dente até toda uma arcada ou até todos os dentes da boca.


8 - No caso de reposição de muitos dentes, são colocados vários implantes sendo um para cada dente que falta?

Não, o profissional avalia o número de dentes que precisam ser recolocados (tamanho da prótese) e calcula a quantidade de implantes que será necessária. Por exemplo: Para repor toda a arcada inferior, na maioria dos casos, são utilizados 5 implantes.


9 - Os pacientes conseguem comer bem com os implantes?

Sim. Normalmente comem como pessoas que possuem próteses que se apóiam em dentes naturais.


10 - Sempre é possível colocar implantes?

Quando perdemos nossos dentes, normalmente, o osso que estava em volta sofre um processo de perda natural que é chamado reabsorção. Se o profissional detectar que o processo de perda foi muito grande podem ser necessários procedimentos de enxerto para que o osso perdido possa ser reposto. A avaliação da qualidade do osso também é importante. Serão solicitados exames específicos sempre que a possibilidade de problemas for detectada.


11 - Então os implantes sempre dão certo?

O índice de sucesso da técnica é muito alto. Se tudo for executado dentro da técnica e o paciente seguir direitinho as orientações, a chance de sucesso é alta. Sabemos também que é mais alta em determinadas regiões da boca do que em outras.


12 - O que acontece quando dá errado? Qual é o prejuízo para o paciente?

Quando o implante não osseointegra, ele apresenta mobilidade e se perde. Não há maiores prejuízos para a região. Na maioria dos casos os implantes poderão ser recolocados.


13 - Isso é rejeição?

Não. Rejeição é um processo usado pelo organismo para expelir materiais que não são aceitos. Isto não acontece com o Titânio devido à sua biocompatibilidade. A perda ocorre por outros motivos que podem ser: fatores relacionados ao paciente (exemplo: qualidade óssea não favorável) ou do procedimento em si.


14 - O que será necessário para manter uma prótese sobre implantes?

O paciente será orientado pelo profissional a respeito das técnicas de higienização, é muito importante que as orientações sejam corretamente seguidas. É necessário também que o paciente compareça periodicamente ao consultório para que o profissional possa avaliar o comportamento das próteses e dos implantes.


15 - Como será feita a higienização?

Com os métodos usuais utilizados na higienização dentária. O paciente deve escovar os dentes após as refeições e utilizar técnicas que permitam a limpeza correta na parte interna das próteses quando foram próteses maiores. video

Nenhum comentário:

Postar um comentário